Envie seu texto mapim53@yahoo.com.br

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Altinópolis, campeão amador de 1949.

por José Márcio Castro Alves

Clique na foto e amplie os campeões Gatti, Massa, Edson, Coelho, Manoel, Wander, Delcídio, Faísca, Dirceu, Dari e Gatinho. http://1.bp.blogspot.com/-ZbPDPJDDqAA/U4q-RsXJA_I/AAAAAAAAOKc/StWI9cpDCMA/s1600/afc.jpgDesde menino ouvia as histórias que o meu pai, Flávio de Figueiredo Alves, o Faísca, contava sobre futebol e o grande feito do Altinópolis Futebol Clube em 1949: Campeão Amador do interior do Estado de São Paulo.
De vez em quando ele mostrava a medalhinha da Federação Paulista de Futebol. Miudinha...
Naqueles tempos, o respeito, o orgulho e o civismo enalteciam as pessoas, por mais simples que fossem, a marca registrada das gerações de 1920 e 1930, no tempo em que havia respeito, lealdade e civismo, ideais primeiros na formação de uma pátria.
--- Você é filho do Faísca? Conheci demais. Joguei futebor com ele, uai! Quantos ano...
Assim me cumprimentavam ao saberem que eu era filho do Faísca. Por décadas o assunto era o Altinópolis campeão, o glorioso AFC de 1949. A comemoração da vitória foi na sede do Clube 9 de Março, atual câmara municipal, onde reuniu as principais lideranças da cidade. Discursos eloqüentes e vivas aos campeões em festa que varou noite adentro.
Do glorioso Altinópolis Futebol Clube, os atletas Gatti, Massa, Edson, Coelho, Manoel, Wander, Delcídio, Faísca, Dirceu, Dari e Gatinho, a maioria já partiu.


Edmar Vicentini, um altinopolense “da gema”, fala com orgulho sobre as glórias do esporte amador de Altinópolis (AFC) em entrevista concedida ao "Memorial do Esporte" – 2006

Tuas olheiras - Marcilio Dias por José Amélio.

Um furo de reportagem.

Não há nada mais velho no Brasil que os jornais de hoje. Isso porque a função dos mesmos seria a de nos informar através dos fatos políticos e econômicos nacionais e mundiais, mas com opinião própria, explícita, para que sejam sim, formadores de opinião, sua função primordial. Jornal que se diz imparcial não é jornal.
Manchetes de fatos abomináveis como bêbados anônimos que se assassinam, acidentes corriqueiros de trânsito com imagens de mutilados, tragédias caseiras de pobres desconhecidos, não são notícias, mas sim, demência e falta de educação, já que esse tipo de assunto faz mal à saúde de qualquer pessoa normal e não acrescenta nada de útil a ninguém. Um gol no futebol de ontem não é notícia.
Nos países normais, onde bandidos e analfabetos não são eleitos presidentes, deputados ou senadores, semanalmente, os presidentes ou primeiros ministros reportam ao vivo (entrevistas coletivas), o que se passa no governo e o público assim é informado. Alguém já viu (ao vivo) uma entrevista coletiva com os presidentes Lula, Dilma? É claro que não, pois elas nunca existiram, não existem e jamais existirão.
Alguém já viu algum jornal falar a respeito dessa total ausência de entrevistas coletivas formais com os presidentes? É claro que não, pois essa pauta não consta na agenda do governo e muito menos na pauta da imprensa.
Alguém já viu algum órgão de imprensa no Brasil noticiar que em nenhum país civilizado do mundo, a previdência social é bancada na sua totalidade pelo estado? É claro que não, pois isso só existe nos países de quinto mundo.
Portanto, se queres se informar no Brasil sobre assuntos releventes, entre na net e procure alguns sites de analistas internacionais. Não leia jornais, revistas ou noticiários de TV do Brasil, pois só noticiam (sem opinião) e com destaque, assuntos e fatos bastante relevantes ao intelecto de minhocas.

José Marcio Castro Alves